sábado, 19 de junho de 2010



POEMA À BOCA FECHADA

Não direi:
que o silêncio me sufoca e me amordaça
calado estou, calado ficarei,
pois que a língua que falo é de outra raça.

Palavras consumidas se acumulam
se represam, cisterna de águas mortas
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas
Nem só animais boiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
no negro poço de onde sobem dedos

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.

José Saramago
(1922-2010)
R.I.P

OPINIÃO DE TIAGO MOITA: Ontem não morreu só um escritor, apenas se apagou uma estrela lírica que iluminou o coração de milhares e milhares de escritores não só em Portugal mas em todo o mundo. Não só a sua vastíssima obra e os prémios que ganhou ao longo da sua carreira o tornaram num escritor universal mas, principalmente a forma como libertou a palavra e emancipou a linguagem do romance, o percurso de um homem do povo que trabalhou a vida a pulso, trabalhou inúmeras profissões e combateu injustiças durante toda a sua vida, Fizeram de Saramago não só um dos maiores escritores portugueses de todos os tempos, como um exemplo de ser humano capaz de ultrapassar as fronteiras do seu corpo e alma pela arte.

Para ti Saramago, nunca te direi adeus...apenas...até breve.

6 comentários:

ivone disse...

fazemos dos olhos uma espécie de espelho virado para dentro com o resultado de muitas vezes mostrarem eles o que estávamos negando com a boca



excerto do ensaio sobre a cegueira
josé saramago

aldacroinha disse...

...para além de todo o conteúdo do blog, mostra a referência da sensibilidade, do ensinamento e da aprendizagem. Gosto imenso, permite a todos os interessados usufruir desta CULTURA.

Tiago Mota
Obrigado

Zaratustra disse...

Muito obrigado pelo teu comentário, assim como o teu Ivone. Este blog é uma gota de água no deserto, mas a primeira de muitas gotas que dão de beber os sedentos de cultura.

Um abraço a todas!

Tiago Moita.

Fernando Tordo disse...

Muito bem Tiago. Tudo simples, como a vida e a morte. E também a palavra, que nos guia entre uma e outra coisa. abraço f.t.

Ana disse...

Perduram as palavras para além da morte.
Bela homenagem a Saramago!
Parabéns pelo blog! Voltarei!

Dina Correia (FB)

João disse...

O Saramago era muito mais do que um escritor, era uma pessoa que queria o melhor para o seu povo e afrontava os poderes, fossem eles quais fossem colocando o seu próprio estatuto e credibilidade em risco pelos seus ideais de justiça e razão. Eles bem que tentaram, o máximo que puderam, para o tentar denegrir, menosprezar, difamar... Para uma pessoa assim, que luta pela verdade, pela razão para o melhor de todos, eu, como pessoa do povo que sou, só me resta deixar um agradecimento eterno a este enorme ser humano.