quarta-feira, 19 de março de 2014

TIAGO MOITA: DEZ ANOS A DAR VOZ À POESIA (2004-2014)

Tinha ainda 28 anos e parecia ter descoberto a vida pela primeira vez. Vinha ébrio de uma revolução de palavras e pensamentos, sonhos e pesadelos com mais de sete meses. Começava a redescobrir a escrita e a poesia como quem aprende a respirar de novo. Tinha 28 anos e parecia ter descoberto um mundo novo.

Era Primavera na cidade. O município aperaltava-se para a segunda sessão do Poesia à Mesa. As andorinhas e as flores mudavam as cores e os comportamentos de todos os habitantes. Respirava-se Poesia na cidade. Para mim, a primavera tinha começado mais cedo nas tardes de leitura na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo ou nas livrarias da minha terra e da cidade do Porto. Tinha 28 anos e voltei a apaixonar-me pelos livros e a desbravar horizontes nos textos e nos poemas de Pessoa, Blake e Rimbaud que, por não serem suficientes para alimentar a minha alma, deram lugar também a Al Berto, O'Neill, Cesariny, António Maria Lisboa, Mário de Sá-Carneiro, David Mourão-Ferreira, Sophia de Mello Breyner Andresen entre tantos outros. Tinha ainda 28 anos e palavras como surrealismo, modernismo, metáfora, didascália, verso, poema ou silêncio passavam a fazer parte do meu vocabulário e todo o sentido para mim como raiz de uma árvore ou o canto de um pássaro.

Queria descobrir mais, experimentar mais, dar voz ao que escrevia e aos poemas e textos dos livros que passavam a fazer parte da minha vida, revolviam-me as estranhas, tatuavam-me o corpo, como amigos inseparáveis. Tinha ainda 28 anos e deixei-me conduzir por um anúncio da Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em Fevereiro de 2004 para promover uma workshop de leitura poética, denominada "A ORQUESTRA DAS PALAVRAS", dirigida por um tal Paulo Condessa que, naquela altura, nunca tinha ouvido falar. Parecia tudo novo para mim. Tinha ainda 28 anos e abri o meu coração e a minha vida para esse evento, sem ouvir os murmúrios das paredes e as vozes das sombras, servindo-me da minha intuição como bússola.

Foram apenas cinco dias mas, para mim, poderiam durar uma eternidade que não me importava. Tinha ainda 28 anos e saboreei a Poesia do silêncio das palavras a cair da ponta da língua como gotas de orvalho a gotejar de folhas de Outono; respirei Poesia e aprendi a dialogar com os poemas, com os poetas, com o mundo e com a vida.

Nessa noite de sexta-feira, 19 de Março de 2004, às 22H30, tudo foi novo e diferente. Eu e aquele grupo fomos um só. Lemos Almada Negreiros, Sophia de Mello Breyner, Vasco Popa, Cesariny e António Maria Lisboa como se os poemas fossem nossos e os poetas renascido das cinzas para lerem connosco. Por fim, chegou a minha vez e só, perante o público, despi as minhas sombras e dei voz ao meu silêncio. tinha ainda 28 anos e senti o peso do mundo na boca e a eternidade num instante.

Dez anos depois, já não digo "tinha ainda 28 anos"; digo, "tenho ainda". Apesar de ter perdido o contacto com a maioria das pessoas que fizeram aquela workshop comigo; apesar do meu mestre viver a mais de trezentos quilómetros de distância , apesar do meu pai, morto, mas sempre vivo em mim; apesar de tudo o quanto deixei e o quanto não ficou por dizer, tenho ainda o mesmo toque, o golpe de asa que falava Pessoa, a mesma vontade de respirar a Poesia que passou a fazer parte de mim  e o silêncio que esculpo, com prazer e dor, para moldar a sua forma.

                                                                                                                                   Tiago Moita
                                                                                                                             19 de Março de 2014 


Sessão de encerramento da Workshop de Poesia 
"A Orquestra das Palavras" de Paulo Condessa,
São João da Madeira, Ecos Urbanos, 2004


Filo Café "O Actor e a Personagem", Braga, Insolit Bar, 2005


Filo Café "Poesia e Mulheres: todos aos seus talheres"
São João da Madeira, Café Concerto, 2006


Filo Café "Ritos e Rituais", Clube Literário do Porto, Porto, 2007


Filo Café "Drama e Plateia", São João da Madeira, Art7< Bar, 2010


"Quartas Poéticas Especial", Púcarus Bar, Miragaia, Porto, 2010


São João da Madeira, Poesia à Mesa, 2011


"Mentiras e Poesia", Art7< Bar, São João da Madeira, 2011


"Até sempre C.L.P!", Clube Literário do Porto, 2012


"Vagas de Poesia", Paralelo 38 Bar, Furadouro, Ovar, 2013

SESSÕES EM QUE EU PARTICIPEI

2004

1. Espectáculo de encerramento da workshop de Leitura Poética "A ORQUESTRA DAS PALAVRAS" no Monumento Arquitectónico da Praça Luís Ribeiro, São João da Madeira (Sexta-Feira,19.04.2004, 22H00)

2. III Encontro Nacional de Poetas, "É POR TI, POESIA" na Junta de Freguesia de Pindelo, Oliveira de Azeméis (Sábado, 25.09.2004)

2005

3. Filo Café "O ACTOR E A PERSONAGEM" do grupo (In)comunidade no Insolit Bar, Braga (Sábado, 15.01.2005, 21H30)

4.Filo Café "PEDRO E INÊS" do grupo (In)comunidade no Sete Mares Bar em Vigo, Galiza, Espanha (Sábado, 05.11.2005, 22H00)

5. Filo Café "NIETZSCHE E PESSOA: O BAILE DA GRAVIDADE" do grupo (In)comunidade na sede da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto (Sábado, 17.12.2005, 17H00)

2006

6. Filo Café "POESIA E MULHERES: TODOS AOS SEUS TALHERES" do grupo (In)comunidade no Café Concerto dos Paços da Cultura, São João da Madeira (Sexta-Feira, 13.03.2006,21H30)

7.Filo Café "BRUNO E BRUMA" do grupo (In)comunidade no Clube Literário do Porto (Sábado, 01.07.2006, 21H30)

8. Sessão poética "SETEMBRO (IN)VERSO" com o Grupo "Tarde e a Más Horas" na Livraria Entrelinhas, São João da Madeira (Sábado, 23.09.2006, 21H30)

9.Sessão poética "MAUDITS" com o Grupo "Tarde e a Más Horas" na Livraria Entrelinhas, São João da Madeira (Sábado, 21.10.2006, 21H30)

2007

10. Filo Café "OS MEUS POEMAS PREFERIDOS" do Grupo "Tarde e a Más Horas" na Livraria Entrelinhas, São João da Madeira (Sábado, 17.03.2007, 21H30)

11. "10Cíbeis Bar" - Peregrinação Poética da campanha cultural "POESIA À MESA 2007" em São João da Madeira (Sexta-Feira, 23.03.2007, 22H45)

12. Filo Café "RITOS E RITUAIS" no Clube Literário do Porto (Sábado, 24.03.2007, 21H30)

2008

13. Filo Café "SUICÍDIO/ALTERICÍDIO" no Café "Princesa", Porto (Sábado, 12.01.2008, 21H30)

14. Espectáculo "OS POEMAS DA MINHA VIDA" no Café Concerto dos Paços da Cultura, São João da Madeira (Quarta-Feira, 12.03.2008, 21H00)

16. Art7Menor Bar - Peregrinação Poética da campanha cultural "POESIA À MESA 2008" em São João da Madeira (Sexta-Feira, 14.03.2008, 22H00)

17. V Tertúlia Poética na Biblioteca Municipal de Vale de Cambra (Quinta-Feira, 20.03.2008, 21H30)

18. Tertúlia Cultural da Associação "Teia dos Sentidos" na Biblioteca Municipal de Armamar (Sábado, 28.06.2008, 15H30)

19. Filo Café "FECUNDAÇÃO E ALÍVIO" no Orfeão do Porto (Sábado, 22.11.2008, 21H30)

2009

20. Café Concerto, Bicalhus Bar, Chá Café, Fora D'Horas e Art7menor Bar: Peregrinação Poética da campanha cultural "POESIA À MESA 2009" (Sexta-Feira, 20.03.2009, 22H00)

21. "QUARTAS POÉTICAS" no Púcarus Bar, Miragaia, Porto (Quarta-Feira, 12.08.2009, 00H00)

22. "CONFRONTO POÉTICO: VITÓ/ANAAS" no Art7menor; Bar, São João da Madeira (Quinta-Feira, 03.09.2009, 22H00)

23. "NOITE POÉTICA" no Art7menor Bar, São João da Madeira (Quinta-Feira, 08.10.2009,22H00)

24. "PORTUGAL(IDADES)" no Art7menor Bar, São João da Madeira (Quinta-Feira, 05.11.2009, 22H00)

2010

25. Manifesto Político-Poético de apoio de António Pedro Ribeiro à Presidência da República, no art7menor Bar, São João da Madeira (Quinta-Feira, 04.03.2010, 22H00)

26. Espectáculo "À MESA COM POESIA" com o Grupo "amigos do Art7menor" nos Paços da Cultura, São João da Madeira (Sábado, 13.03.2010, 21H30)

27. Tertúlia Poética "SER POETA É..." com poetas sanjoanenses na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em São João da Madeira (Quarta-Feira, 17.03.2010, 18H00)

28.Peregrinação Poética/Poetry Slam na Feira do Livro de São João da Madeira, campanha cultural "POESIA À MESA 2010" (Sexta-Feira, 19.03.2010, 22H00)

29.0 Filo Café "DRAMA E PLATEIA" com Teixeira Moita, Jorge Velhote e Sara Canelhas, no Art7menor Bar, em São João da Madeira (Quarta-Feira. 14.04.2010, 22H00)

30. "QUARTA POÉTICA ESPECIAL: HOMENAGEM A CARLOS PINTO" no Púcarus Bar, Miragaia, Porto (Quarta-Feira, 03.11.2010, 22H00)

2011

31. "POESIA DE CHOQUE com o Padre Mário de Oliveira", no Clube Literário do Porto (Quinta-Feira, 17.02.2011, 22H00)

32. "POESIA NA TABERNA: POESIA E SONHO" na Taberna da Pica, Cucujães, Oliveira de Azeméis (Quarta-Feira, 23.02.2011, 22H30)

33. Peregrinação Poética/Slam Poetry - campanha cultural "POESIA À MESA 2011" na Feira do Livro de São João da Madeira (Sexta-Feira, 18.03.2011, 22H00)

34. "Estendal Poético/Declamar Natividade" na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo de São João da Madeira (Sexta-Feira, 21.03.2011, 11H00)

35. Tertúlia Poética "SER POETA É..." com poetas sanjoanenses na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo de São João da Madeira (Segunda-Feira, 21.03.2011, 18H00)

36. "Sarau Poética" no Neptúlia Café, São João da Madeira (Sábado, 26.03.2011, 22H15)

37. Sessão "MENTIRAS E POESIA" no ex-art7menor Bar em São João da Madeira (Sexta-Feira, 01.04.2011, 21H30)

38. Sessão "FIA-TE NA VIRGEM...MAS NÃO CORRAS!" no ex-art7menor Bar em São João da Madeira (Quinta-Feira, 12.05.2011, 23H00)

39. Serão "PORTUGAL(IDADES) II" no Inversus Bar em São João da Madeira (Quinta-Feira, 09.06.2011, 23H00) 

40. Sessão "A CRISE, A VIDA" no Inversus Bar em São João da Madeira (Sexta-Feira, 08.07.2011, 22H00)

41. Sessão Cultural na Biblioteca-Museu Associação Dr. Manuel Luciano da Silva em Cavião, Vale de Cambra (Sábado, 27.08.2011, tarde)

2012

42. Tertúlia Poética "OS NOSSOS POETAS" com poetas sanjoanenses na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em são João da Madeira (Terça-Feira, 20.03.2012, 18H30)

43. Sessão "ATÉ SEMPRE C.L.P!" no Clube Literário do Porto (Sábado, 31.03.2012, 17H30)

44. Sessão "POESIA VADIA" no Café "Ágora" em Vale de Cambra (Sábado, 17.03.2012), 22H00)

45. Filo Café "MILAGRES" do grupo (In)Comunidade no Auditório José Afonso em São João da Madeira (Sábado, 12.05.2012, 21H30)

2013

46. Sessão "ARTE DE DIZER POESIA" com Isaque Ferreira no Aduela Taberna-Bar no Porto (Quinta-Feira, 25.04.2013, 22H00)

47. "VAGAS DE POESIA" no Paralelo 38, Furadouro, Ovar (Sexta-Feira, 10.05.2013, 22H38)

48. "VAGAS DE POESIA" no Paralelo 38, Furadouro, Ovar (Sexta-Feira, 12.07.2013, 23H00)

49. "VAGAS DE POESIA" no Paralelo 38, Furadouro, Ovar (Sexta-Feira, 13.09.2013, 22H38)

2014

50. Tertúlia Poética "O QUE FALTA AO POETA?" com poetas sanjoanenses na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em São João da Madeira (Terça-Feira, 18.09.2013, 18H00)

terça-feira, 18 de março de 2014

POESIA À MESA 2014: A POESIA ESTÁ NA MESA E NA RUA EM S.JOÃO DA MADEIRA!




Mais uma vez, regressa a São João da Madeira,pelo 11º ano e pela 12ª Edição consecutiva, a campanha cultural POESIA À MESA. Um evento, do qual sou suspeito em apoiar - visto que assisto e participo nele desde 2004 -, mas que nunca deixo de o promover. Trata-se de uma das maiores e mais originais manifestações de homenagem à Poesia, onde o associativismo e a cultura se aliam numa simbiose perfeita com a cidade e o concelho, tornando São João da Madeira numa dos principais focos de atenção e dinâmica cultural das Terras de Santa Maria dos últimos tempos.

Os poetas homenageados este ano são VASCO GATO, JORGE DE SOUSA BRAGA, ANA PAULA TAVARES, INÊS PUPO, JOSÉ CARLOS ARY DOS SANTOS e LUÍZA NETO JORGE.

Eis o programa deste ano:

DATAS E EVENTOS A TER EM CONTA  

14 DE MARÇO, 18H00

Inauguração da Exposição de Pintura e Poesia ENTRE AS MÃOS E O SONHO de Adão Cruz e João Alexandre, Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em São João da Madeira (patente até 14 de Abril)

18 DE MARÇO, 18H00

Tertúlia Poética dos poetas sanjoanenses, Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em S. João da Madeira

19 DE MARÇO, TODO O DIA

Oficina Um Poema para o meu pai.
Abertura da exposição Poesia de Encantar trabalhos realizados pelos alunos no âmbito do Projecto Educativo Municipal. Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em São João da Madeira.

20 DE MARÇO, 10H30 e 14H30

adVERSUS - Espectáculo Poe´tico de Largo Espectro

Estás triste? tem insónias? Sofre de comichões na carteira e de urticárias profissionais? Sente-se sem forças? Acha que anda a chocar uma depressão? O adVERSUS é um concentrado de sonhos que contém substâncias activas com efeitos imediatos na forma de olharmos o mundo à nossa volta. Há quem diga que a nossa sociedade está doente. E se lhe administrarmos uma boa dose de Poesia? O adVERSUS é isso mesmo. O prazer de dizer o mundo com as palavras dos poetas.

Paços da Cultura, ANDANTE associação artística
Peça direccionada para jovens a partir dos 15 anos.

21 DE MARÇO, 14H00

Quem escreveu o meu livro? com INÊS PUPO e GONÇALO PRATAS

21H30
PEREGRINAÇÃO POÉTICA com o actor Pêpê Rapazote e as associações culturais da cidade. Organização e apresentação pelo actor Pedro Lamares. Participação dos poetas José Fanha, Inês Pupo e Ana Paula Tavares. ZONA PEDONAL

Espectáculo de animação de rua com a associação ECOS URBANOS

22 DE MARÇO, 21H45

SERÃO POÉTICO com a actriz Ana Zanatti e o saxofonista José Menezes. Apresentação e participação do actor Pedro Lamares e do poeta José Fanha, PAÇOS DA CULTURA.

28 DE MARÇO, 18H00

Cerimónia de entrega de Prémios do concurso POESIA NA CORDA
Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo em S.João da Madeira

DURANTE A SEMANA

Poesia na Corda, Praça Luís Ribeiro (14 e 22 de Março)

Exposição Poesia de Encantar, trabalhos realizados pelos alunos no âmbito do Projecto Educativo Municipal, Bilbioteca Municipal Dr. Renato Araújo em São João da Madeira.

À Mesa com Poesia, poesia nos restaurantes (17 a 22 de Março)

Oficinas de Poesia nas Escolas (10 a 21 de Março)

Poesia nas Fábricas (17 a 21 Março)

domingo, 9 de março de 2014

POETAS CONTEMPORÂNEOS DO SÉCULO XXI: JOÃO NEGREIROS


O TEMPO ÉS TU A PASSAR

semanas passam como tu
a espera conta-se pelos dedos 
dos palmos que te vão dar

há arranha-céus que esgravataram a terra 
para interceder por mim
e tu nem assim foste ao túnel comigo

comi a fruta mais áspera
contraí um cancro com o seu caroço
 para que fosse sã
e tu lambeste toda a sobremesa
 como se eu não tivesse direito 
ao que sobrou da solidão

semanas passam como tu
não dás fé do meu rosário e     no fascínio que por mim vai    chapinhaste um
espelho de poças
podiam ser uma interjeição mas em vez disso são água

sou o espelho turvo que te dá em troca
perdeste importância do amor-próprio
por não perceberes que só somos 
o que os outros amam

semanas passam como tu
o tempo és tu a passar.

De O Amor és tu.

JOÃO NEGREIROS nasceu em Matosinhos a 23 de Novembro de 1976. Foi o primeiro classificado no Prémio Internacional OFFLIP de Literatura (Brasil, 2009). 

Em Portugal, entre outros prémios, João Negreiros venceu o Prémio Nuno Júdice. Na área do Teatro, a sua obra foi crescendo, tendo hoje várias peças editadas "Silêncio" e "Os Vendilhões do Templo" (2007); "O segundo do fim" e "Os de sempre" (2008). 

No âmbito da poesia, publicou três livros: "O Cheiro da sombra das flores" (2007, Papiro Editora), seleccionado de entre as melhores obras de poesia ibérica publicadas entre 2007 e 2008 pelo Prémio Correntes D'Escrita de 2009; "Luto Lento" (2008, Papiro Editora) e "A Verdade dói mas pode estar errada" (2010, Camões e Companhia).

Em 2010, é editado o seu primeiro livro de prosa "O mar que a gente faz" e, em 2012, "O Sol Morreu aqui" - este último, vencedor do Prémio Literário Dias de Melo.

Para além de escritor, João Negreiros é actor e tem divulgado a poesia nacional através de espectáculos e vídeos de spoken word. Em 2011, o artista foi representante da Literatura Portuguesa na 7ª Edição do conceituado Festival Internacional das Artes de Castela e Leão.

OBRAS POÉTICAS PUBLICADAS:
  • "O Amor és tu" (Saída de Emergência, 2012)
  • "A Verdade dói mas pode estar errada" (Camões e Companhia, 2010)
  • "Luto lento" (Papiro Editora, 2008)
  • "O cheiro da sombra das flores" (Papiro Editora, 2007)

NEW AGE MUSIC: LISA LYNNE


Lisa Lynne 

"Lake of Dreams"

"Daughters of Celtic Moon"

2009

sábado, 1 de março de 2014

POETAS DA NOVA ERA: RON LAMPI


A PALAVRA

Suavemente falada: a Palavra.
Frequentemente, nós ouvimos o seu murmúrio - 
É uma voz que deseja despertar-nos.
É a memória da nossa renovação,
                                    desejo da nossa alma,
uma manifestação de tudo para ser chamado
                                   das profundezas.

Fora do mar, uma Palavra, 
anunciando o nosso verdadeiro destino. 
O destino imediato é semi-enterrado
                                  na areia -
nós somos as conchas que dormem.

Sobre uma costa resistente nós dormimos
O Por que é tão duradouro precisamos dormir?
Mas nós sonhamos...

Como o som do mar que ecoa
          até
Escutamos a Palavra do nosso despertar 
Ao mesmo tempo, uma voz murmura
suavemente nos nossos ouvidos...

Ron Lampi
2004

SABEDORIA PURA: BOB PROCTOR


"Os único limites na nossa vida são aqueles que impomos a nós mesmos"

Bob Proctor

Filósofo neotranscendentalista e Life Coacher

NEW AGE ART: JAMES ROSENQUIST


"Sand of the Cosmic Desert in Every Direction"

James Rosenquist

2012

POETAS CONTEMPORÂNEOS DO SÉCULO XX E XXI: JAIME ROCHA


TODA AQUELA ASSOMBRAÇÃO ESTÁ GRAVADA

Toda aquela assombração está gravada
na tinta como se pertencesse a um livro
queimado, roído pelo sol. O homem sabe
que se trata de uma morta, mas não
entende que é a cicatriz do seu peito que
lhe ocupa o sono e o cativa para um ritual
demoníaco. Conhece os seus cabelos, os 
lábios a descerem pelas amoras, pela cera.
E toda a sua pele sobressai, pintada na
parede, nos pregos, nas mãos que descansam
em cima de uma toalha. Um navio incendeia-se
contra um recife. É ela ou os seus vestidos a 
desaparecerem no horizonte, no fim de tudo.

De Necrophilia

JAIME ROCHA nasceu em 1949, na Nazaré, Portugal. 

Estudou na Faculdade de Letras de Lisboa e viveu em França nos últimos anos da ditadura até 1974. Exerce a profissão de jornalista há cerca de três décadas, com o nome próprio de Rui Ferreira e Sousa. Tem editadas várias obras de poesia, ficção e teatro. No domínio da poesia, Jaime Rocha publicou Melânquico (com o pseudónimo de Sousa Fernando), A Dança dos lilazes, Beber a Cor, A Pequena Morte/Esse Eterno Canto (díptico com Hélia Correia), A Perfeição das coisas, Do Extermínio, Arco de Jasmim, Os Que Vão Morrer e Zona de Caça. Na ficção destacam-se os romances Loucura Branca, Tonho e as Almas e Os dias de um Excursionista. No Teatro, editou mais de uma dezena de peças. Foi galardoado, em 1998, com o Grande Prémio APE de Teatro, com a pela O Terceiro Andar, texto incluído no volume O Construtor e, em 2000, com o Prémio Eixo Atlântico de Textos Dramáticos, com a peça Seis Mulheres sob Escuta. A sua primeira peça representada intitula-se A Repartição e foi levada à cena, na Comuna, pelo Grupo de Teatro da Faculdade de Ciência de Lisboa em 1989. O Teatro de Carnide encenou, em 1998, a sua peça Depois da Noite o Quê? Uma réplica à obra de José Saramago, A Noite. Em 2001, estrearam quatro peças suas: Casa de Pássaros pelo Teatro Experimental de Cascais, O Televisor pelo Teatro Mosca, Transviriato pelo Trigo Limpo Teatro Acert e O Jogo da Salamandra, uma co-produção da Comuna Teatro, uma co-produção da Comuna Teatro de Pesquisa e do Teatro Público, de Lisboa. Em 2003, Seis Mulheres sob Escuta numa produção do Teatro da Trindade e Quinze minutos de Glória pelo GRETUA - Grupo Experimental de Teatro da Universidade de Aveiro. em Fevereiro de 2004 estreia em Lisboa a peça Homens como Tu. De Pesquisa e do Teatro Público, de Lisboa. Em 2003, Seis Mulheres sob Escuta numa produção do Teatro da Trindade e Quinze minutos de Glória pelo GRETUA. Em Fevereiro de 2004 estreia em Lisboa a peça Homens como Tu.

OBRAS PUBLICADAS
  • "Necrophilia" (Relógio D'Água, 2010)
  • "Do Extermínio" (Relógio D'Água, 2003)
  • "Zona de Caça" (Relógio D'Água, 2002)
  • "Os que vão morrer" (Relógio D'Água, 2000)
  • "Arco de Jasmim" (Edições Duas Luas, Belo Horizonte, Brasil, 1999)
  • "A Perfeição das Coisas" (Caminho, 1988)
  • "A Pequena Morte/Esse eterno canto" (Black Sun Editores, 1986)
  • "Beber a cor" (Edições &Etc., 1985)
  • "A Dança dos Lilazes" (Edições Bico d'Obra, 1982)
  • "Melânquico" (Livro de Autor, 1970)