quarta-feira, 17 de setembro de 2014

SOBRE A QUARTA SESSÃO POÉTICA MENSAL "POESIA À SOLTA" NO NEPTÚLIA BAR EM SÃO JOÃO DA MADEIRA (Terça-Feira, 16.04.2014)


ENTRE A POESIA E O PENSAMENTO

Terça-feira, 16 de Setembro. O clima revelava o seu mau-humor noctívago mas do mais recôndito dos cantos da cidade de São João da Madeira, um pequeno grupo de poetas e amantes dessa arte de dizer Poesia em público reuniu-se pelas 21H30 no Neptúlia Bar para assistir e participar em mais uma sessão poética mensal "POESIA À SOLTA". Nem a chuva nem o futebol demoveu aquele bando de curiosos e amantes da Poesia e tampouco os demoveu a soltar a voz do diseur ou do poeta que habitou em cada um deles. Tiago Moita - um dos mentores e coordenadores das noites poéticas nos cafés e bares de São João da Madeira - abriu as hostes, lendo um excerto de uma das "cartas a um jovem poeta" de Rainer Maria Rilke, exprimindo a opinião do poeta sobre o que era a Poesia e o seu mais profundo significado e sentido.

Terminada a leitura desse épico texto, começou a tertúlia. Durante uma hora e meia ouviram-se poemas de poetas e simples amantes de poesia locais como de poetas consagrados nacionais e estrangeiros. Riu-se de poemas de Natália Correia, João de Deus, Reinaldo Correia e Armindo Mendes de Carvalho, prestou-se homenagem a Paul Leminsky, Vinícius de Moraes, Fernando Pessoa/Bernardo Soares, Luís Vaz de Camões ou José Gomes Ferreira e até se escutou poesia de Khalil Gibran pelo meio. Perto do fim, discutiu-se acerca da ideia de o poeta ser ou não um fingidor: ideia rematada pelo doutor Magalhães dos Santos e que gerou o primeiro debate intelectual numa sessão histórica onde, pela primeira vez, a palavra e a discussão filosófica andaram de mãos dadas, numa tertúlia que terminou com partilha de sorrisos e troca de beijos, abraços e saudades por uma noite bem passada e regada pela mais pura e incondicional Poesia.

A próxima sessão é no dia 7 de Outubro, Terça-feira a partir das 21H30 na Confeitaria Colmeia em São João da Madeira. Apareçam!

Aqui ficam as fotos do evento.



Um aspecto do público antes do começo da sessão


O doutor Flores Santos Leite (ao centro) lendo
um poema da sua autoria


Carlos Pinho recitando "Mar Português" de Fernando Pessoa


Dina Silvério lendo um poema da sua autoria


Raquel Gomes de Pinho lendo o poema 
"Separação" de Vinicus de Moraes
a partir do seu telemóvel


O doutor Magalhães dos Santos contando uma
anedota


Parte do público que também esteve à assistir à sessão


O Dr. Luís Quintino lendo um poema
de José Gomes Ferreira


O Dr. Campelo dissertando sobre o sentido de ser 
português a partir de excertos de poemas de Luís
Vaz de Camões e de Bernardo Soares/Fernando
Pessoa


Francisco Costa - amigo do Dr. Flores Santos Leite -
recitando um poema


O arquitecto Luís Cambra lendo um texto da sua 
autoria a partir do seu telemóvel

Nenhum comentário: