terça-feira, 9 de setembro de 2014

SOBRE A TERCEIRA NOITE POÉTICA MENSAL "POESIA À SOLTA" NO NEPTÚLIA BAR (TERÇA-FEIRA, 15.07.2014, 21H30)

HÁ NOITE TODOS OS POEMAS SÃO VADIOS

Foi numa atmosfera amena e intimista que decorreu a terceira noite poética mensal no Neptúlia Bar em São João da Madeira. Quinze minutos depois da hora marcada, Tiago Moita e Edmundo Silva abriram as hostilidades e deixaram respirar a poesia e transparecer o seu silêncio pelos quatro cantos daquele estabelecimento, devoto à homenagem da palavra e da Cultura. Bastou Tiago Moita abrir a sessão com o poema "Arte Poética" de Manuel António Pina para começar a sinfonia dos sentidos e a respiração da Poesia por entre todas as pessoas que assistiram e participaram. Durante duas horas e meia ouviu-se poesia portuguesa desconhecida e conhecida, soltou-se a voz para dar vida aos poemas de poetas consagrados e imortais como Pessoa, Camões, Torga, Tagore ou Walt Whitman, riu-se com poemas de João de Deus e Alberto Pimenta, prestou solidariedade à dor das estrelas com W.H Aundem, homenageou-se poetas locais e ouve quem soltasse o silêncio de canções da música ligeira portuguesa, que se converteram em verdadeiros poemas. 

Ouve quem fosse mais tímido e ouve quem soltasse o diseur que habita em si, como um animal enraivecido, solto da sua jaula de medos. Tudo isso e muito mais aconteceu naquela noite de terça-feira, 15 de Julho e não deixou ninguém indiferente à sua passagem.

Em Setembro há mais! Até lá, aqui ficam algumas fotos desse evento:


Algumas das pessoas presentes no evento


Uma panorâmica do interior do bar
antes do evento


Isabel Amorim lendo o poema "Funeral Blues"
de W.H Aundem


Tiago Moita lendo o poema "Navio de Espelhos"
de Mário de Cesariny 


Edmundo Silva lendo o poema "Meu Amigo"
do poeta indiano Tagore


A dona Elisabete lendo os poemas "Ode Louca"
e "Havia um Homem" de Filipa Leal


Clara Lencastre lendo um poema de 
Sophia de Melo Breyner Andresen


Raquel Gomes de Pinho lendo um poema
de A.M.Pires Cabral do seu telemóvel


Maria João Lobo lendo o poema "Aniversário"
de Fernando Pessoa


Edmundo Silva lendo "O poema do menino Jesus"
de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa) e "Acorda"
de Suzana Guimarães


O doutor Campelo citando a "Canção
da Eternidade" de Vinicious de Moraes


Edmundo Silva lendo dois poemas da
antologia poética "O Medo" de Al Berto.


O senhor Alberto dizendo a "A Tourada"
de José Carlos Ary dos Santos


Tiago Moita lendo o poema "Neste país de linhos e
predicados" de Edmundo Silva


Jorge Madureira lendo um poema de 
Manuel António Pina


Isabel Amorim lendo o poema "Os canos
das Espingardas" de Tiago Moita


O doutor Campelo citando "Amor" de
Luís Vaz de Camões


Francisco Guedes de Amorim lendo
dois sonetos da sua autoria


Raquel Gomes de Pinho lendo o poema
"Elegia de um Adeus" de Tiago Moita


Maria Clara citando um poema de 
Francisco Guedes de Amorim

Nenhum comentário: