segunda-feira, 9 de março de 2015

SOBRE A SÉTIMA "FUGA POÉTICA" NA CONFEITARIA "COLMEIA" EM SÃO JOÃO DA MADEIRA (03.03.2015)

TRIBUTO A UM ADEUS

Prestar homenagem a alguém que deixou sementes de futuro na Terra e tentou criar um paraíso no coração dos homens é também Poesia, quando o momento é oportuno, a linguagem é certa e o sentimento apropriado. Nessa noite fresca de terça-feira, dia 3 de Março, na Confeitaria "Colmeia", pelas 21H30, podiam não estar todas as pessoas que gostaram do professor Josias Gil ou todos os poetas e amantes da Poesia do mundo, mas quem assistiu e participou na VII "Fuga Poética", naquele espaço emblemático da Praça Luís Ribeiro em São João da Madeira, de homenagem à Poesia e, especialmente, a um dos mais ilustres sanjoanenses que esta terra conheceu, não ficou indiferente a tudo o que aconteceu naquela noite.

Não ficou indiferente à homenagem poética e simbólica dos organizadores das "Fugas Poéticas", Tiago Moita e Edmundo Silva, quando ambos depositaram um laço preto e branco e uma rosa numa cadeira vazia, a mesma cadeira onde se sentou o ilustre professor na última "Fuga Poética" que participou - fez nesse dia um mês - e leram o poema "As minhas Asas" de Almeida Garrett, antes de entregarem o laço, a rosa e as folhas do poema que leram à família, como gesto simbólico de gratidão e tributo a esse grande homem.

Terminada a homenagem dos organizadores, iniciou-se a sessão. Num espaço preenchido com mais de setenta pessoas, houve lugar para elegias de homenagem ao professor Josias Gil, canções capazes de sublimar as almas mais adormecidas, anedotas inocentes, testemunhos sentidos de almas órfãs de saudade, acompanhadas pela Poesia de poetas tão díspares como David Mourão-Ferreira, Florbela Espanca, José Luís Peixoto, Paul Éluard, António Gedeão, Pablo Neruda mas, essencialmente de muitos poetas locais e desconhecidos que, entre o júbilo e o pranto, prestaram homenagem a alma que viveu a vida tão intensamente como um poema voando à solta pelo silêncio do mundo.

Próxima Paragem: Neptúlia Bar, 17 de Março, Terça-feira, 21H30.

Tema (Facultativo): POESIA.

Conto convosco!

Aqui ficam fotos do evento:


Parte das mais de setenta pessoas que estiveram presentes na 
sessão de homenagem à Poesia e, especialmente, ao Professor
Josias Gil


Outra panorâmica do público presente na sessão


O Dr.Flores Santos Leite lendo um poema da
sua autoria, dedicado ao Prof. Josias Gil.


Isabel Barbosa dizendo um poema da sua autoria


O Dr. Francisco Costa lendo um poema da sua
autoria, em homenagem ao Prof. Josias Gil
intitulado "Elegia ao Professor Josias Gil".


António Salgueiro - um poeta natural de Espinho e
um estreante nas "Fugas Poéticas" - lendo
um poema da sua autoria.


David Morais Cardoso lendo um poema


O senhor Amílcar Bastos lendo um poema da sua
autoria, de homenagem ao Professor Josias Gil,
intitulado "Filosofia e Viagens".


O senhor Altino lendo um poema.


O senhor Manuel Dias lendo o poema "Poesia"
de Miguel Fernandes.


Idiema Salgueiro lendo um poema.


O doutor Luís Quintino lendo um poema de David
Mourão-Ferreira.


Joana Costa lendo um poema de Florbela Espanca


O doutor João Carlos Silva lendo o poema
"Um só pensamento" de Paul Éluard.


A acordeonista - e ex-aluna do professor Josias Gil -
 Cláudia Patrícia Alves Pereira tocando uma peça
musical com o seu acordeão.


O doutor Magalhães dos Santos contando uma
anedota.


O senhor Carlos Pinho lendo o poema
"Calçada de Carriche" de António Gedeão.


Tavares Ribeiro lendo um poema da sua autoria:
"À procura do Amor".


A Clarinetista Catarina Rebelo tocando a célebre 
peça musical "Pavane pour une infant défunt"
do compositor Maurice Ravel.


Sara Gil - um das filhas do Professor Josias Gil -
lendo um poema do seu pai.


O Dr. Adão Cruz lendo um poema da sua autoria.


A professora Eva Cruz lendo um poema 
da sua autoria.


M Conceição Gomes lendo um poema de Joel Lira


O doutor Magalhães dos Santos lendo um poema
humorístico da sua autoria: "Rimeiro".


Inês Severino lendo o poema "É proibido"
de Pablo Neruda.


O poeta Valecambrense Victor José lendo um
poema da sua autoria: "Na minha solidão".


O professor Daniel Neto contando uma estória
sobre o seu amigo, o Prof. Josias Gil.


O Professor Daniel Neto lendo um poema da sua
autoria, de homenagem ao seu amigo, o Professor
Josias Gil: "Educação".

O doutor Ângelo Campelo lendo - pela primeira
vez - o poema "Lusitanos" de António F.Pina.

Nenhum comentário: