segunda-feira, 8 de junho de 2015

SOBRE A DÉCIMA "FUGA POÉTICA" NA CONFEITARIA "COLMEIA" EM SÃO JOÃO DA MADEIRA (02.06.2015)

"FUGAS POÉTICAS: UM ANO AO SERVIÇO DA POESIA EM SÃO JOÃO DA MADEIRA (II)"

Faltavam apenas cinco minutos. O tempo não apresentava sinais de mau humor. O vento estava mavioso, assim como aquela noite de 2 de Junho, terça-feira, pelas 21H30, na Confeitaria "Colmeia" em São João da Madeira. Mal cheguei ao local da décima "Fuga Poética" mensal - e primeiro aniversário deste evento naquele estabelecimento - pressenti uma diminuta afluência que, como passar das horas não passou de uma miragem, de uma ponta à outra da confeitariam encontrei pessoas vindas de cidades da zona do Grande Porto e alguns concelhos vizinhos que afluíram naquela noite àquela sessão poética especial com caras novas a fim de conhecerem a cidade e sentirem de perto a vitalidade e espírito de abertura e partilha que têm transformado as "Fugas Poéticas" num fenómeno local.

Dez minutos depois de ter chegado, o coordenador Tiago Moita abriu a sessão, dando as boas-vindas a todos os presentes, especialmente os estreantes, e abriu as hostes com um poema alusivo ao tema (facultativo) do mês de Junho paras as "Fugas Poéticas": Portugal. Neste caso, o poema "Portugal" de Alexandre O'Neill. E as reacções não se fizeram esperar.

Tal como crianças ansiosas por responder a perguntas simples, um a um, os tertulianos começaram a dar voz aos poemas que trouxeram de casa - ou na memória - e a fazer circular por todo aquele estabelecimento a Poesia de Alexandre O'Neill, Miguel Torga, Pablo Picasso (Sim!É verdade! Além de pintar, Pablo Picasso também escrever a Poesia), Fernando Campos Castro, Oswaldo Montenegro, Nelson Ferraz, Pedro Chagas Freitas, Vasco Graça Moura, Luís de Aguiar, Mário de Sá-Carneiro, Alberto Caeiro, Maria do Rosário Pedreira, António Carlos Santos, Cely Parente, Sara F.Costa, Fernando Pessoa, José Régio, Ruy Belo, Florbela Espanca, Carlos Lacerda, João de Deus, Luana Lua, Maria Teresa Horta, Rabindranath Tagore, João Habitualmente, David Mourão-Ferreira e Agostinho da Silva, entre alguns textos e poemas de poetas locais e desconhecidos, onde a música - desde a mais popular até à mais clássica - complementou e adocicou, juntamente com o (suculento) bolo de aniversário de uma iniciativa que, findos doze largos e intensos meses de vida, demonstrou que continua viva e com pernas para andar durante muito tempo,

PRÓXIMA PARAGEM: Neptúlia Bar, 16 de Junho, terça-feira da próxima semana, 21H30.

Aqui ficam as fotos do evento.


Tiago Moita iniciando a 10ª "Fuga Poética" mensal na Confeitaria
"Colmeia" em São João da Madeira.

(Foto de Virgílio Gonçalves)


Parte do público presente na sessão.


David Morais Cardoso lendo o poema "Retrato"
do célebre pintor Pablo Picasso.


Rogério Barbosa - um estreante nas "Fugas Poéticas"
em São João da Madeira - lendo o poema "No tempo
das flores" de Fernando Campos Castro.


A poeta Alice Queiroz - uma estreante nas "Fugas 
Poéticas" em São João da Madeira - lendo um poema
da sua autoria: "Eu sou português aqui".


Luís Quintino lendo o poema "Rosa" de Alexandre
O'Neill. 


O poeta Carlos Lacerda - um estreante nas "Fugas
Poéticas" em São João da Madeira - lendo o poema
"Metade" de Oswaldo Montenegro.


Outra parte do público presente na sessão.


Clara Oliveira lendo o poema "Passadiço" 
de Nelson Ferraz.


Fábio Silva dizendo um poema da sua autoria.


A poeta Luana Lua - uma estreante nas "Fugas
Poéticas" em São João da Madeira - lendo um 
texto do livro "Prometo Falhar" de Pedro Chagas
Freitas (Marcador, 2014)


O músico Rui Flash cantando a canção "Porto
Sentido" de Rui Veloso.(Também cantou o célebre
fado de Carlos do Carmo, com letra de José Carlos
Ary dos Santos, "Lisboa, menina e moça")


O poeta Luís de Aguiar - um estreante nas "Fugas 
Poéticas" em São João da Madeira - lendo um dos 
três poemas da sua autoria que leu naquela noite.


Tiago Moita lendo o poema "Lamento da Língua Portuguesa" de 
Vasco Graça Moura.

(Foto de Virgílio Gonçalves)


Amílcar Bastos lendo o poema "Recreio" de Mário de
Sá-Carneiro (Também leu um soneto do século XVII)


Raquel Sousa - uma estreante nas "Fugas Poéticas"
em São João da Madeira - lendo o poema "Não tenho
pressa" de um dos mais célebres heterónimos de 
Fernando Pessoa: Alberto Caeiro.


Idiema Salgueiro lendo o poema "Quando eu morrer"
de Maria do Rosário Pedreira.


Sãozita Alves lendo o poema "Na terra dos sonhos"
de António Carlos Santos.


Maria de Fátima Passos lendo o poema "Portugal"
de Cely Parente.


Tiago Moita lendo o poema "Pais (I)"
de Sara F. Costa.

(Foto de Sebastião Oliveira)


o Doutor Ângelo Alberto Campelo Sousa dizendo
o poema "Nevoeiro" da epopeia "Mensagem"
de Fernando Pessoa.


Elídio Bessa - um estreante nas "Fugas Poéticas"
em São João da Madeira - dizendo o célebre
poema "Cântico Negro" de José Régio.


Vânia Soares lendo o poema "No teu olhar" de
Florbela Espanca.


Sebastião Oliveira - um estreante nas "Fugas 
Poéticas" em São João da Madeira - lendo
um poema de Alice Queiroz.


Fernanda Guimarães - uma estreante nas "Fugas
Poéticas" em São João da Madeira - lendo um 
poema de Carlos Lacerda.


Carlos Pinho lendo o poema "A vida" de João de Deus.


A poeta Aurora Gaia - uma estreia nas "Fugas Poéticas"
em São João da Madeira - lendo o poema "Saudade"
de Luana Lua.


Tiago Moita partindo o bolo do (1º) aniversário das "Fugas Poéticas"
(na Confeitaria "Colmeia") em São João da Madeira.


Eduardo Belinha cantando uma célebre canção
popular chilena: "Gracias à la vida".


Tavares Ribeiro lendo um poema da sua autoria, 
seguido de um poema de Maria Teresa Horta.


Virgílio Gonçalves lendo o poema "Identidade" de 
Fernando Campos Castro.


Jorge Madureira lendo um poema da sua autoria.


O doutor Ângelo Alberto Campelo Sousa dizendo
o poema "O Monstrengo" da célebre epopeia de
Fernando Pessoa "Mensagem".


André de Oliveira lendo o poema "Terra" de 
Rabindranath Tagore.


Eduardo Belinha cantando uma das duas canções
da sua autoria, seguido de uma célebre ária de
Eurico Caruso. 


O público que assistiu à (brilhante) performance musical de 
Eduardo Belinha, no final da sessão.


Virgílio Gonçalves - um dos "fotógrafos de serviço"
naquela noite.


(grande) parte do público presente no final da sessão.

Nenhum comentário: