terça-feira, 1 de dezembro de 2009

PADRE MÁRIO DE OLIVEIRA EM S.JOÃO DA MADEIRA (03.12.2009, Quinta-feira,21H30)





Na próxima quinta-feira, dia 3 de Dezembro, S. João da Madeira acolherá uma das figuras mais polémicas de Portugal. Trata-se do célebre Padre Mário de Oliveira. Autor de mais de trinta obras, entre as quais o célebre livro “Fátima Nunca Mais” (Campo das letras, 1999), polémico por criticar o culto de Nossa Senhora de Fátima e o negócio que se gerou à volta dele. A sua deslocação à cidade, prende-se com a apresentação da sua última obra “Novo Livro do Apocalipse ou da Revelação”.
A apresentação e a venda da obra terão lugar no Art7Menor Bar, a partir das 21H30 e contará no final com uma pequena sessão de autógrafos. Os lucros da venda da obra reverterão para a continuação das obras na Casa da Cultura de Macieira de Lixa. O livro em questão custa dezanove Euros.



A OBRA

Segundo o autor, a sua última obra deveria ser publicada a título póstumo, de modo a evitar alimentar mais “ódio teológico-idiolátrico” por ser “aquele que mais exclui, excomunga e mata” no seu entender, uma vez que o seu último livro vem por a descoberto as máfias que se escondem por detrás de todas as cúpulas das religiões/Igrejas, juntamente com as cúpulas do poder político e do poder económico-financeiro. Um livro polémico que, segundo o seu criador, “nem José Saramago, António Lobo Antunes ou José Rodrigues dos Santos teriam a coragem de escrever”, contra uma sociedade materialista e consumista que se desligou da sua essência divina, carregada com uma mensagem de esperança e de amor, baseada na fé cristã e na palavra de Jesus Cristo, livre de todos os artifícios e mistificações.



O AUTOR

Mário de Oliveira nasceu a 8 de Março de 1937, em Lourosa, Feira. Foi ordenado Padre/Presbítero da Igreja do Porto, a 5 de Agosto de 1962. Desde Março de 1973, foi coadjutor da Paróquia das Antas por decisão pessoal do Bispo António Ferreira Gomes. Foi Professor de Religião e Moral nos Liceus Alexandre Herculano e D. Manuel II no Porto e Capelão Militar na Guiné Portuguesa (Hoje, Guiné-Bissau), onde foi expulso ao fim de quatro meses por pregar o evangelho da paz aos soldados. Foi Pároco em Paredes e Valadares onde levou a sério a sua missão de evangelizar os pobres, o que lhe valeu a exoneração, ao fim de catorze meses, decidida pelo então Administrador Apostólico da Diocese, o Bispo Florentino de Andrade e Silva. Pároco de Macieira da Lixa, concelho de Felgueiras, em cujo exercício foi preso duas vezes pela PIDE. Depois da Revolução do 25 de Abril de 1974, dedica uma intensa actividade ao jornalismo e à escrita, acabando por participar em jornais locais como O Correio do Minho, acabando por fundar o jornal “Fraternizar” de que é director e redactor principal, há vinte e dois anos consecutivos, e escrever mais de trinta obras, todos fecundamente polémicos.

Nota: O bar Art7menor situa-se na Avenida Renato Araújo, por baixo do centro comercial Galerias Avenida, em frente ao Centro Coordenador de Transportes.

Nenhum comentário: