quarta-feira, 7 de abril de 2021

O ICEBERG QUE NÃO SE VÊ

 


O ICEBERG QUE NINGUÉM VÊ.

Quem vê esta fotografia tirada pelo meu pai em 2006, quando vi publicado e apresentei o meu primeiro livro "Ecos Mudos" com 31 anos, deve pensar que descobri o meu caminho muito cedo e que já sonhava em ser um brilhante, talentoso e criativo escritor. Certo?

Errado!

Por detrás desta imagem escondia-se um Tiago Moita tímido, desconfiado e cheio de bloqueios criativos e com bastantes problemas de comunicação. 

Hoje, quem me vê a dar autógrafos numa sessão de apresentação ou numa feira do livro, não imagina os tempos em que trabalhava por conta de outrem e tinha dificuldade em conciliar tempo para me dedicar à escrita e ser mais criativo na minha vida e no meu trabalho, sem perder a minha relação com a minha família e @s meus (minhas) amig@s e o meu prazer de ler e escrever o que me apetecesse. 

Não imagina o cansaço, os momentos de frustração e de desânimo em que ficava horas a olhar para uma folha de papel em branco ou para um ecrã de um computador, à espera que alguma "inspiração divina" descesse sobre a minha cabeça e me ajudasse a libertar mais a minha imaginação e a desbloquear a minha criatividade. Por detrás desta imagem, ninguém imagina o que eu passei.

E, sobretudo, ninguém imagina os momentos em que eu estive quase para desistir dos meus sonhos porque tinha dificuldades em comunicar com as pessoas, apresentar as minhas ideias, os meus sonhos e projectos, cursos e workshops e, claro, os poemas e histórias que mais gostava e desejava partilhar com o mundo sob a forma de livros. Fosse por falta de experiência, fosse por não ter encontrado o meu verdadeiro estilo, fosse pelos comentários de certas pessoas que achavam que não era suficientemente talentoso, criativo, inteligente, erudito e culto por ter descoberto o meu caminho de me tornar num criativo e escritor de sucesso com apenas...28 anos! (que, para muitos, era considerada uma idade demasiado avançada para começar um sonho, como o de ser um poeta ou um escritor criativo de muito sucesso, por exemplo).

É muito fácil julgarmos os outros por aquilo que está à superfície ou à distância dos nossos olhos tal como esta imagem que não conta, por completo, a verdadeira história por detrás do meu percurso profissional e pessoal ou a ponta de um iceberg, que nunca revela o seu real tamanho que existe debaixo de água. Por vezes precisamos de olhar para os dois lados de uma história para termos o quadro completo do(s) assunto(s) que ela aborda em vez de fazermos julgamentos precipitados acerca das pessoas que conhecemos através de rumores ou de boatos e não por aquilo que elas verdadeiramente são.

Tiago Moita. 


#TiagoMoita #Oicebergqueningueve

segunda-feira, 15 de março de 2021

"MANUAL DA SOLIDÃO" - UM ANO DEPOIS


 "MANUAL DA SOLIDÃO" - UM ANO DEPOIS.

Fez na passada sexta-feira UM ANO que foi editado o meu oitavo livro - e primeiro de prosa poética - "Manual da Solidão", pela Chiado Publishers.

Infelizmente, por causa desta maldita pandemia, o seu lançamento e apresentação (presencial) pública foram cancelados - bem como toda a digressão nacional que eu e a minha editora tínhamos planeado.

Até hoje, estou proibido pelo governo de Portugal e pela DGS de o apresentar em Bibliotecas Municipais, Lojas FNAC e grande parte das livrrarias do nosso país. Tanto as Lojas FNAC como grande parte das livrarias portuguesas se recusam a comercializá-lo pelo simples facto de que ainda não foi apresentado.

Esperemos que esse ano tudo de resolva e o meu livro possa, finalmente ser apresentado - e comercializado - como deve ser.

A ver vamos...

Tiago Moita. 

#TiagoMoita #ManualdaSolidaoumano #ManualdaSolidao #prosapoetica #poesia #poesiaportuguesa #literatura #literaturaportuguesa #livro #ChiadoPublishers #Grupoeditorialatlantico #Portugal #Livrododesassossego #BernardoSoares #FernandoPessoa 

domingo, 14 de fevereiro de 2021

DO LIVRO "MANUAL DA SOLIDÃO" DE TIAGO MOITA - "O SENTIDO DA PRIVAÇÃO" (2020)

 


O SENTIDO DA PRIVAÇÃO

Só na solidão é que o homem entende o sentido da privação dos vícios e contempla a plenitude da sua transcendência. Perdi a conta do número de vezes que me deixei encantar e sentir humano, cada vez que mergulhava nas profundezas de mim mesmo. Cada ser é o reflexo de um sonho. Mergulha naquele que espelha o teu. Saber quem nós somos é uma aliança entre nós e o universo. O que pensamos e sentimos são códigos akáshicos e pincéis sinestésicos que desenham a nossa real.idade. Transparecer toda esta clarividência é regressar do exílio de nós mesmos.   

Tiago Moita
"Manual da Solidão"
Colecção "Palavras Soltas"
Chiado Publishers
2020

#TiagoMoita #ManualdaSolidaoTiagoMoita #OSentidodaPrivacao #ProsaPoetica #Poesia #PoesiaPortuguesa #Literatura #LiteraturaPortuguesa #Cultura #Livro #LivrodoDesassossegoBernardosoares #FernandoPessoa #ChiadoPublishers #Portugal

POEMA "O PRIMEIRO BEIJO"

 


O PRIMEIRO BEIJO

(inspirado neste vídeo)


Uma dúvida acendeu o rastilho 
de uma febre adormecida
nos nossos corações virgens
desde o nosso primeiro encontro.
Sem saber, despertara em nós
o primeiro sinal da primavera.

O medo diluiu-se na tua resposta
como o suspiro breve de uma rosa.
Rendi a guarda aos sentidos
quando deixámos os olhos decifrar
o enigma desse fogo etéreo e vivo
que nos consome.

O tempo afogou-se na nossa respiração.

Navegámos ao sabor da correnteza
do verbo incandescente que nos criou
como duas metades perdidas do fruto proibido
da árvore da vida
e deixámo-nos naufragar como navios
para encontrar na foz das nossas bocas
o mar que habita em nós.

Pousei a minha mão sobre a tua
e a morte deixou-nos entregues
a nós próprios.

Deixámos partir a inocência
com o primeiro beijo
sorvemos a vida num só fôlego
como dois amantes sonâmbulos
sedentos de sal e fogo
e selámos num abraço sincero e limpo
o prelúdio do nosso amor.

Tiago Moita

(dedicado a todas as pessoas que acreditam no amor, especialmente ao Esteban e à Zia)

Feliz dia dos Namorados!

#TiagoMoita #PoemaOPrimeiroBeijo #DiadosNamorados2021 #oprimeirobeijo #poema #poesiaportuguesa #poesia #literaturaportuguesa #literatura #Cultura #estebanetzia #Lesmysterieusescitesdor #Amor

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

"MANUAL DA SOLIDÃO" NA REVISTA LITERÁRIA "LETRAS COMVIDA" DA FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA (24.12.2020)


"MANUAL DA SOLIDÃO" DE TIAGO MOITA NA REVISTA LITERÁRIA "LETRAS COMVIDA" DA FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA (24.12.2020)

Hoje assinalo um dia histórico no meu percurso literário. Como sabem, este ano estive para lançar e apresentar o meu primeiro livro de Prosa Poética "Manual da Solidão" (Chiado Publishers, 2020) mas fui proibido pelo governo de Portugal e pela DGS por causa da Pandemia de Covid-19 que todo o mundo (ainda) atravessa; algo que fez com que a minha obra voltasse, por assim dizer "para a incubadora".

Mesmo assim, já foi alvo de duas leituras críticas literárias: uma, por parte da Carla Ribeiro, do blog literário "As Leituras do Corvo" (que já tive a ocasião de partilhar no mural do meu FB no dia 19 de Outubro deste ano, e outra, foi publicada na passada quinta-feira, dia 24 de Dezembro de 2020, pela mão da professora Maria Carlos Lino de Sena Aldeia, do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Universidade de Lisboa, na revista literária da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa "Letras ComVida", que partilho o link convosco para poderem ler o PDF da sua extraordinária resenha à minha primeira obra de prosa poética. 

É a primeira vez que uma obra minha é alvo de uma resenha literária, publicada por parte de uma revista literária (académica) conceituada.

O link para acederem a esta revista literária (online) é este: http://e-lcv.online/index.php/revista/issue/view/5 

P.S: Procurem o artigo em PDF "Moita, (2020) "Manual da Solidão" Chiado Publishers, Lisboa: 127 pp. “

Muito obrigado, caríssima professora Maria Carlos Lino de Sena Aldeia!

Tiago Moita. 

#TiagoMoita #resenhaManualdaSolidao #letrascomvida #FLUL #MariaCarlosLinodeSenaAldeia #LiteraturaPortuguesa #literatura #cultura #manualdasolidaotiagomoita #ChiadoPublishers #portugal

sábado, 26 de dezembro de 2020

SEGUNDA CRÍTICA LITERÁRIA AO LIVRO "OS CONTOS IMPOSSÍVEIS" DE CARLA RIBEIRO - BLOG "AS LEITURAS DO CORVO" (26.12.2020)


Sonhos mortais e quadros vazios. Aspirações secretas são batalhas pela sociedade. O mundo global e o mundo no cerne de cada um. Real e imaginário em colisão e conjugação. Tudo isto dá forma a estes Contos Impossíveis.

O Cruzeiro, que serve de abertura a este livro, fala de um navio chamado Civilização e da ameaça de um naufrágio provocado pelas forças do medo, do ódio e da ignorância. Breve, mas muito interessante enquanto metáfora da realidade, não dá respostas conclusivas para a história deste barco, mas proporciona muito material para reflexão.

Segue-se Volte Face, história de uma cidade dividida ao meio e de como as barreiras geracionais podem ser ultrapassadas. Também relativamente breve e também uma boa metáfora da realidade, surpreende também pela emotividade subjacente a esta história de mais e menos jovens.

Uma Lágrima na Sala fala da descoberta de uma inexplicável lágrima capaz de despertar muitas mais. Surpreendente pela associação de emoções humanas a máquinas, tem, porém, o seu máximo impacto na forma como reflecte a persistência da memória e os diferentes motivos para o choro.

Segue-se Make a Wish, que fala de um filho muito esperado, mas cujo desejo invulgar gera apreensões, fantasias e alguns fenómenos estranhos. Apesar de uma vincada componente espiritual, que implica uma certa crença, esta é uma história que se destaca pela fluidez e pela naturalidade, que faz com que até os elementos mais peculiares pareçam normais.

Vem depois O Sexo dos Anjos, história de um cidade-estado em vias de ser invadida enquanto os seus políticos discutem assuntos inconsequentes. Peculiar, mas estranhamente certeiro, também este conto é uma boa metáfora da realidade, com a sua reflexão sobre a distância que separa a retórica dos discursos e a prática da acção.

A Peça fala de dois criadores com falta de ideias e de como uma gota de sangue os transporta para outra a dimensão. Onírico e cativante, destaca-se sobretudo pela intensidade quase visual das imagens, quase como o verdadeiro contemplar de uma peça.

Vem depois O Quadro Vazio, história de um choque em cadeia e de um possível encontro de todos os envolvidos. Provavelmente o melhor conto do livro, conjuga as medidas certas de mistério, emoção, intriga sobrenatural, introspecção e intensidade. E culmina num final particularmente memorável.

A Estátua Viva fala da realização de um desejo de imortalidade e de maldições que são bênçãos disfarçadas. Relativamente breve, acaba por ser um pouco vago acerca dos actos do protagonista, mas não deixa de ser uma boa reflexão sobre a imortalidade dos gestos.

Segue-se A Metade Maior, história de duas almas sozinhas em busca da sua metade perdida. Onírico e um pouco surreal, acaba por ser também um pouco vago, mas surpreendentemente fluido na sua estranheza.

E o último conto é Antes do Fim, história de um escritor em corrida contra o tempo e da alma e coração que às vezes se verem nos livros. De abertura algo ambígua, vai crescendo em intensidade para culminar num final notável, fechando assim com chave de ouro este conjunto de contos.

Cativantes, surpreendentes, misteriosas e inspiradoras. Assim são estas histórias, às vezes ambíguas, às vezes impossíveis, mas sempre muito interessantes. E feitas de improváveis e de realidades, são também - de várias formas - memoráveis. E dignas de descobrir. 

Carla Ribeiro 
Blog Literário "As Leituras do Corvo"
26.12.2020

#TiagoMoita #OsContosImpossiveis #Conto #Livro #LiteraturaPortuguesa #Literatura #Cultura #ChiadoPublishser #2019 #Portugal #CarlaRibeiroBlogAsLeiturasdoCorvo #BlogAsLeiturasdoCorvo #BlogLiterario #SegundacriticaliterariaaosContosImpossiveis

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

SUGESTÃO DE NATAL: COMPREM LIVROS DE TIAGO MOITA! (21.12.2020)



SUGESTÃO DE NATAL: COMPREM LIVROS DE TIAGO MOITA!

Uma das prendas mais comuns que costumamos oferecer nesta quadra festiva são livros. Caso estejam interessados, todas as obras que editei na Chiado desde 2012 estão à venda (online) e são uma excelente prenda para oferecer nestes tempos difíceis que estamos todos a atravessar.

As obras que se encontram, neste momento, à venda (online) são:

"O ÚLTIMO IMPÉRIO" (Romance Histórico, Chiado Editora, 2012. 2ª Edição: Fevereiro de 2016)

"O EVANGELHO DO ALQUIMISTA" (Romance espiritual, Chiado Editora, 2016. 2.ª Edição: Fevereiro de 2017)

"METANOIA" (Poesia, Chiado Editora, 2017)

"A FÓRMULA DO PEREGRINO" (Romance, Chiado Publishers, 2018)

"OS CONTOS IMPOSSÍVEIS" (Conto, Chiado Publishers, 2019)

"MANUAL DA SOLIDÃO" (Prosa Poética, Chiado Publishers, 2020)

ONDEM PODEM COMPRÁ-LOS (ONLINE)?

Wook: https://www.wook.pt/autor/tiago-moita/2604039 

Bertrand: https://www.bertrand.pt/autor/tiago-moita/2604039 

Fnac: https://www.fnac.pt/ia206649/Tiago-Moita 

Amazon: https://www.amazon.com/s?i=stripbooks... 

livraria Chiado Books: https://www.chiadoeditora.com/pesquisa?q=Tiago+Moita

Livraria Good Books: https://www.livrariagoodbooks.com/

Travessa da Mata (Brasil): https://www.travessa.com.br/Busca.aspx?d=1&bt=Tiago%20Moita&cta=00&codtipoartigoexplosao=1

Cultura (Brasil): https://busca.livrariacultura.com.br/search/...

Martins Fontes Paulista (Brasil): https://www.martinsfontespaulista.com.br/buscar?q=Tiago%20Moita

Saraiva (Brasil): https://www.saraiva.com.br/Tiago%20Moita

Aproveitem! 

Tiago Moita. 

#TiagoMoita #SugestoesdeNatal2020  #CompremlivrosdeTiagoMoita2020 #oultimoimperiotiagomoita #oevangelhodoalquimista #metanoiatiagomoita #aformuladoperegrino #oscontosimpossiveis #ManualdaSolidaoTiagoMoita #Livro #literatura #LiteraturaPortuguesa #cultura #thrillerbooks #Romance #romancehistorico #poesia #poesiaportuguesa #chiadoeditora #chiadobooks #GrupoEditorialAtlantico #ChiadoPublishers #portugal