domingo, 26 de fevereiro de 2017

Poema "ARTE POÉTICA" de Tiago Moita (2017)


ARTE POÉTICA

O poema não nasce
do murmúrio da cinza
ou da cópula do fogo
que corre nas veias das palavras

O poema não cresce 
do êxtase dos quatro elementos
ou do incêndio das feridas
transforma-se em Cosmos
com o silêncio dos búzios

O poema não pergunta
nem responde 
à sublimação dos espelhos
e às epifanias dos números
reage contra a inércia do mundo
e a apatia das sombras

É sal, espinho, espelho, flor
carne, sémen, bolor. seiva
antes da menstruação do verbo
que pariu Deus

O poema é poema
antes da invenção das línguas
e da tradução dos ventos
Metanoia universal
do Tudo o Que É
Foi 
e virá a Ser.

O poema existe
o poema morre
para voltar a ser poema
o poema transfigurar-se
o poema é tudo
o poema sabe
o poema
é.

TIAGO MOITA
"Metanoia"
Colecção "Prazeres Poéticos"
Chiado Editora
2016

Prestes a ser editado e distribuído em todas as livrarias de Portugal e do Brasil a partir de Março de 2017. 

Nenhum comentário: