sábado, 25 de fevereiro de 2017

Poema "EPIFANIA BOREAL" de Tiago Moita (2017)


EPIFANIA BOREAL

Mergulhei num sono de prata
para encontrar uma epifania
do nascimento de Vénus
na noite dos teus olhos

Naveguei num mantra tibetano
até à raíz de um fogo líquido 
oculto na epiderme dos sonhos
tatuados no êxtase deste verso

Escalei montanhas de dúvidas
para escutar o eco do sal
que brotou quarto minguante 
no lugar do teu sorriso

Procurei-te numa palavra
e só no teu coração descobri

Que tudo o que é belo
é um reflexo da rosa que somos
que tudo o sonho
é o fruto proibido do que sonhamos
e tudo o que sinto aqui e agora
resume-se na memória de uma estrela
que transcende todas as palavras
que esculpi deste silêncio.

TIAGO MOITA
"Metanoia"
Colecção "Prazeres Poéticos"
Chiado Editora
2017

Prestes a ser distribuído em todas as livrarias portuguesas e brasileiras a partir de Março de 2017.

Nenhum comentário: